segunda-feira, 30 de maio de 2011

Como cuidar de suas gravatas





      Aprenda algumas dicas para cuidar de suas gravatas.



Como as gravatas são feitas de material delicado (seda, poliéster, etc), elas NÃO devem ser lavadas!

Caso contrário, devido a uma entretela presente no forro, algumas partes poderão se encolher, dando à gravata aparência de pregas.

Agora, veremos como proceder em algumas situações que podem ocorrer no dia-a-dia.


Retirar manchas das gravatas

     Usar um lenço ou outro tecido para retirar o excesso de tinta, alimento ou de café que
     manchou a gravata, sem esfregar, caso contrário poderá se aumentar a área manchada.

     Em seguida, deve-se usar um pano umedecido para limpar o tecido, o que deve
     ser feito lentamente.

     Se a mancha sair, recomenda-se utilizar um secador para remover o excesso de  
     umidade.
    
     Não aproximar muito o secador, pois a alta temperatura pode danificar o tecido


Existem dicas importantes de como se conservar a gravata, prevenindo, por exemplo, de amassá-la.


Inicialmente, devemos tomar cuidado quando se apertar o nó e no momento de se desatar.´

Uma gravata amassada pode acabar com sua imagem profissional. 


Para se desamassar, NÃO se deve passar o ferro diretamente sobre a gravata.

Isso é importante para não se formar vincos nas partes laterais, que poderá danificar a gravata permanentemente.

No caso realmente de ser necessário passá-la, é recomendado que se coloque um pano entre o ferro e a gravata


Como guardar suas gravatas


Devemos deixá-las extendidas preferencialmente em cabides apropriados, disponíveis no mercado.

Ao viajar, enrole suas gravatas e coloque-as dentro dos sapatos.

Isso é importante pois previne de dobrá-las dentro das malas, o que pode resultar em marcas que podem, eventualmente, danificar o tecido.




O nó é muito importante e deve criar harmonia com o colarinho, proporcionando elegância e conforto.


                      

A largura da gravata deve ser igual ou menor que a largura da lapela.

Um nó somente é considerado bem feito quando se encaixa elegantemente no ângulo formado pelo pescoço, preenchendo o colarinho.

Aconselhamos a não modelar os nós para obter um triângulo equilátero, mas sim, deixar uma leve assimetria, que dará maior elegância ao conjunto.


Outra pequena sugestão é procurar sempre obter o efeito "colher", imprimindo com o indicador um rebaixamento na perna, logo abaixo do nó.


Estilo

A perna maior da gravata deve-se apoiar sobre o cinto e a perna menor nunca deve aparecer.

Em nenhuma hipótese a gravata deve ser usada dentro da calça ou da camisa.


TIPOS DE NÓ

Nó pequeno: é indicado para gravatas grossas e colarinhos estreitos.


Nó cruzado: é um nó elegante, mas muito elaborado. Utilizado com gravatas finas.


Nó simples duplo:  indicado para colarinhos italianos e gravatas ligeiramente finas.


Nó Windsor: também conhecido como nó inglês ou nó clássico.  Bastante volumoso, fica melhor com colarinhos largos, como por exemplo o colarinho italiano, e com gravatas de tecidos mais leves.


Nó Semi-Windsor: é uma alternativa entre o Windsor e o nó simples. Indicado para os mais tímidos e menos ousados.


Assista o video com outra opção de como fazer um nó.








Fonte: Trabalho de graduação interdisciplinar do Curso de Desenho industrial-Faculdade de Comunicação e Artes da Universidade Mackenzie (Adilson Mota da Silva e Luciana Caparelli)